Todas as Notícias

Pressão por vacina cresce após 9 mortes de PMs do DF em 9 dias

Deputados distritais, associações e sindicatos começaram movimento para garantir imunização e, assim, redução de óbitos entre as forças

Em nove dias, nove policiais militares foram mortos pelo novo coronavírus no Distrito Federal. Diante da escalada dos óbitos, aumentou a pressão pela vacinação contra a Covid-19 para os profissionais de segurança.

Do ponto de vista do presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Rafael Prudente (MDB), a imunização dos integrantes das corporações de segurança é vital neste momento de agravamento da pandemia.

“Estou em contato direto com o governador, e espero para esta semana ainda uma definição. Os policiais e bombeiros estão na linha de frente e precisam ser vacinados com prioridade”, destacou Prudente.

 

“Já perdemos nove policiais. Temos de reverter esse quadro e dar mais proteção a esses profissionais, para que eles possam fiscalizar e coibir a aglomeração de pessoas em segurança”, explicou.

O líder do governo na CLDF, deputado distrital Hermeto (MDB), tem defendido a vacinação dos profissionais de segurança sistematicamente.

“Venho cobrando exaustivamente a vacinação prioritária para os membros da Segurança Pública e, antes mesmo desse aumento no número de casos de óbito entre os militares, solicitei de forma oficial ao governador a necessidade de imunizá-los”, pontuou.

Segundo Hermeto, os problemas de saúde dos policiais militares e bombeiros do DF vão além da pandemia. “Por isso apresentamos na CLDF um projeto de lei para criar um comitê que pretende fiscalizar os recursos da saúde destinados à Polícia Militar”, acrescentou.

Mortes trágicas

Na segunda-feira (22/3), o presidente da Comissão de Segurança da CLDF, deputado distrital Roosevelt Vilela (PSB), protocolou pedido oficial para o começo da imunização imediata dos profissionais de segurança pública.

 
 

“Visto que, pela natureza da função, eles estão muitos mais expostos que outras parcelas da população, o que tem culminado na trágica morte precoce dos nossos heróis”, escreveu em ofício destinado ao governo.

Em 17 de janeiro de 2021, o deputado distrital Reginaldo Sardinha (Avante) encaminhou ofício ao Governo do Distrito Federal (GDF) solicitando a proteção das forças. Para o parlamentar, a vacinação deles é “urgente”.

“Coloco como exemplo os servidores do sistema prisional do DF. É urgente que todos sejam incluídos nas fases iniciais para receberem a vacina”, enfatizou.

 

O deputado distrital Chico Vigilante (PT) também julga necessária a vacinação de bombeiros e de policiais militares e civis. O parlamentar ainda defende a inclusão de vigilantes, garis e rodoviários no grupo prioritário de imunização.

Tropa

A sequência de mortes é motivo de pesar e preocupação na tropa. Na leitura da Caserna, associação regulamentada que reúne os praças da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), a imunização dos PMs deve entrar em marcha com urgência.

 

 

Além disso, segundo o presidente em exercício da Caserna, cabo Vitório, a associação busca a implantação da testagem preventiva dos policiais.

Diante do atual cenário da pandemia, a Associação dos Oficiais da PMDF (Asof) também encampa a defesa da vacinação da tropa.

PCDF

Na segunda-feira (22/3), membros da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) fizeram manifestação pelo direito de serem incluídos no grupo prioritário de vacinação. Cerca de 50 agentes e delegados se encontram em frente ao Complexo da Polícia Civil, no Setor Policial Sul.

 

“Temos acompanhado a contaminação de nossos servidores e observamos que a contaminação chega a ser quatro vezes maior”, afirmou o presidente da Associação dos Delegados de Polícia Judiciária (ADPJ), Rafael Sampaio.

“Temos colegas morrendo, ficando com sequelas, mas não vemos a preocupação do Estado com isso”, alertou Sampaio. A PCDF tem apoiado as ações de fiscalização contra as aglomerações no DF.

O Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) também defende a vacinação imediata dos agentes. “Também estamos aqui hoje para reivindicar a vacinação prioritária dos policiais civis neste momento crucial”, destacou o presidente da entidade, Alex Galvão.

Perdas

Na última segunda-feira (22/3), morreu o 1º sargento Jorge Luís Pereira da Silva, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Segundo a PMDF, ele não resistiu às complicações do novo coronavírus. É o nono militar morto pelo vírus em nove dias.

 

De acordo com a PMDF, desde o início da pandemia, mais de 1,6 mil policiais militares foram infectados pela Covid-19 no DF.

Já entre os policiais civis, são 635 contaminados pela doença, além de três óbitos de profissionais que estavam na ativa e 11 de aposentados.

Entre o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), 1.560 bombeiros foram infectados pela Covid-19. Segundo o comando, não houve baixas entre os militares da ativa.

Promessa

Em coletiva de imprensa na segunda-feira (22/3), o GDF sinalizou a intenção de incluir forças de segurança, agentes funerários, servidores da área social, do Instituto Médico Legal (IML) e auditores da DF Legal nos grupos prioritários de imunização. Mas não foram apresentadas datas e regras da vacinação.

 
ADPJ

SCES Trecho 2, Lote 25 Dentro do clube da ADEPOL

CEP: 70.200-002
Site7Dias